19 maio, 2010

as mãos podem ser o voo


In Safe Hands
© Sainty



as mãos podem segurar
as asas um impulso uma queda

as mãos podem rever os poros
e deslizar na pele

as mãos podem revelar o fogo
como se um anjo tocasse a matéria

as mãos podem ser o voo



Gisela Ramos Rosa 20-05-2010

13 comentários:

Leonardo B. disse...

[e o voo toda a margem do tempo onde o corpo poeta se deseja encontrar]

um imenso abraço, Gisela
incondicional!

Leonardo B.

Tânia regina Contreiras disse...

A poesia (de fora e de dentro) amplia a percepção. As mãos são, sim, o voo.

Beijos, Gisela,
Tânia

PAS[Ç]SOS disse...

Segurando o lançamento, as mãos voam.
Lançando-se no que agarram, as mãos voam.
… são as asas que se arrastam pela pele
desprendendo-se de outras mãos onde se querem agarrar,
para seguras voar!

BAR DO BARDO disse...

As mãos são (aproveitando as adoráveis CocoRosie) anjos terríveis...

João Menéres disse...

Há mãos que acariciam.
Outras, são acariciadas.
Há mãos que prendem como amarras.
E há mãos, como as tuas, que só sabem libertar, seja uma ave, seja o pensamento.

Um beijo, GISELA.

dade amorim disse...

Benditas mãos, e temíveis...

Beijo, Gisela.

Fada do Mar Suave disse...

Amigo

Meu amigo pena
Mas que não pena por algo
Que não seja um penar pensado.
Meu amigo pensa
Mas que não pense por algo
Que não seja um pensar penado.
Porque nada que não valha a pena
Deve ser pensado pensa nisso.
Porque nada que um pensar não valha
Deve ser penado.

Roberto Queiroz

Uma visita amorosa na beleza da poesia de seu espaço.
Com amor da Fada do Mar Suave.

Mar Arável disse...

também o voo

nas nossas mãos

Bj

iracema forte caingang disse...

Com quantas mãos se faz uma canoa, perguntam no Brasil.
Eu respondo, se faz com uma única árvore.
E muitas mãos lapidando-as.
Salvemos as mãos
Beijão

alice disse...

as suas mãos são o voo, gisela. um beijinho.

Primeira Pessoa disse...

pomba-peixe.
pomba de escamas.
imagem linda. palavras es-colhidas a dedo.

Milhita disse...

Nas mãos, pousam asas, vindas do espaço que dista entre o sonho e a voz, o gesto sentido capaz de, num instante, envolver-me numa matriz de sonho!
Bom Domingo Gisela! Gostei muito!

« Katyuscia Carvalho » disse...

"as mãos podem ser o voo"

...

Gisela, essa imagem, que já diz muito, jamais diria tanto sem esse teu poema.
Por mais que nos toque, não olharíamos para ela com os mesmos olhos que ora abrimos, como também asas, pelas tuas mãos.
É como se dilatasses nossa pupila em tintas, para vermos o essencial.
É como se de tuas letras brotassem pincéis para pintar um auto-retrato da própria fotografia, traduzível.

O que dizer diante da beleza beirando o arrebatamento?
Só posso entregar as palavras a essa asa que é a poesia quando floresce dos ramos nos dedos.

Um beijo.
.
.
.
Katyuscia