20 janeiro, 2012

O anel do tempo

Imagem: ©Joyce Tenneson




As mães são conchas e mistério, elas apertam os filhos como rios sem margens no diafragma do Tempo, as mães têm braços que agarram por dentro o Amor com magnética nitidez. As mães são o regresso do mundo.


Gisela Ramos Rosa

23 comentários:

Leonardo B. disse...

[todos os nossos mares

e no principio do tempo, das margens do tempo, nascentes.]

um imenso abraço, Gisela

Leonardo B.

Mar Arável disse...

Algumas mães

alguns pais

Bj

Tere Tavares disse...

Que lindo nascimento esse Gisela.
Mãos que tem em si o colo.

Lídia Borges disse...

Um abraço imenso, ninho no coração do mundo.

L.B.

João Menéres disse...

A imagem é muitoforte.
Mas o teu texto ainda lhe é superior, Gisela.
E terminas em beleza com
> As mães são o regresso do mundo. <


Um beijo.

BRANCAMAR disse...

Imagem fascinante. O Olhar desta mãe de repente inpirou-me poesia e o texto diz muito do que é esse amor incondicional, mas concordo com o Eufrázio, há excepções, embora sejam contra-natura.
O importante aqui é o belo, a poesia que existe no coração de uma mãe, o mundo que ela transporta. E é tao bom ouvir um filho dizer: não quero que tu morras! E é a principal preocupação de uma mãe, saber que um dia morre e tem que deixar os filhos preparados para viverem e sobreviverem orfãos do seu afecto.

Belíssimo tudo aqui.

Beijos
Branca

BRANCAMAR disse...

Gisela,

Acho que já deixei aqui um comentário ontem, espero que não se tenha perdido. Imediatamente este olhar imenso de mãe me inspirou e me fez trabalhar algumas palavras até hoje, simples, mas que demonstram quanto a imagem me impressionou. Dedico-lhas lá no meu sítio, não só por esta, mas por tantas imagens imensamente significativas que nos traz aqui e em "A linguagem dos rostos".

Um beijo imenso de carinho.
Branca

Rogério Pereira disse...

E que fazem os país?, de mãos no fundo das algibeiras onde procuram, desesperadamente o sol que julgam , um dia, lá terem posto? Que fazem, sem que escondam o rosto?

Vivian disse...

...não há nada mais
aconchegante que
um colo de mãe.

nele acreditamos não
existir perigos no
mundo!

bj

Tania regina Contreiras disse...

Imagem maravilhosa essa, Gisela, concha e mistério! Saudades de te ler...

Beijos,

Nilson Barcelli disse...

As mães são tudo isso e muito mais.
Excelente, gostei imenso.
Beijo.

Mike disse...

Fantastic photo and caption. Bravo!

sandrafofinha disse...

Lindissimas palavras amiga!! Estás cheia de razão!! Adorei o que li neste post!! Mil beijinhos super fofinhos e votos de uma bela sexta-feira e também de um bom fim-de-semana!! Já agora que comeces fevereiro da melhor maneira possivel.

David disse...

Perfect shot!

AC disse...

Giselda,
Gostei tanto, que acabei por levar estas maravilhosas palavras para o meu blog. Se isso a incomodar, o texto será retirado de imediato.

Beijo :)

ana disse...

Venho de "Interioridades" que cita este seu pensamento e dele digo:
- Belo! A mãe é a concha que abre: ensinando a sua pérola para que um dia ela brilhe longe de si.
Um elo muito importante que às vezes nem sempre temos presente.

Anónimo disse...

Gisela :)

bom reler-te
magnética, como sempre


Abraço

fr

(faz falta a tua claridade)

Avtoprokat disse...

What a fabulous foto!

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Imagem marcante.
É o aperto, é o elo, é a segurança.
Até breve
Herminia

João Menéres disse...

GISELA

Tenho tantas saudades tuas...


Um beijo.

Patricia disse...

bellísimo tu blog.

un placer pasar por aquí.


un barazo.

João Menéres disse...

Então, GISELA, quando voltamos a ter os teus sonhos ?

Que saudades !...


Um BeiJOÃO

João Menéres disse...

Ai que saudades das tuas palavras sempre
tão luminosas !

Um beijo, GISELA.