31 maio, 2009

das paixões, da pétala


Gisela Rosa, Rosa "príncipe negro", Maio de 2009



aprende a falar - diz
a rosa: escreve de noite
e que o meu múltiplo sol
te guie inúmeros
os caminhos, põe-te numa sala
com a luz apagada
onde chegue acesa
a de uma outra, e
frágil,
ao papel que para ela
voltas, então, falas
das paixões, da pétala
que cai no interior
do coração
e navega na sombra do
sangue,
de assombro em
assombro.

Manuel Gusmão
de Dois Sóis, A Rosa - A arquitectura do mundo


* o título foi retirado de um verso do poema de Manuel Gusmão..

5 comentários:

JMV disse...

As gotas parecem vivas...

um beijinho

ps-obrigado pelo poema da Sophia.

Gisela Rosa disse...

Caro JMV eu é que lhe agradeço as imagens/eco que me dá. Sophia surgiu num ápice na praia Atlântica com o seu búzio de Cós...um beijinho

PAS[Ç]SOS disse...

De assombro em assombro, o coração ilumina-se com luzes frágeis, vindas de outras salas, criando outras sombras, na expectativa de encontrar um novo caminho, frágil, como a folha de papel onde escreve novas pétalas de paixão.

Gisela Rosa disse...

Passos, este poema é uma pétala "que cai no interior do coração", obrigada! Um abraço

Anónimo disse...

querida Gisela
Grata pela tua visita.
...nem eu mesma sei!
talvez esta travessia me devolva alguma razão

"reaprendo a falar - dentro de uma sala às escuras, onde chega a cintilação de algumas estrelas"
para já, isso me basta

Abraço infinito

fr