06 novembro, 2009

uma mão, um pão, um beijo,











Este homem que pensou
com uma pedra na mão

tranformá-la num pão
tranformá-la num beijo

Este homem que parou
no meio da sua vida
e se sentiu mais leve
que a sua própria sombra

António Ramos Rosa
















Outubro de 2008

16 comentários:

João Menéres disse...

Quero comentar.
Mas, agora, tenho que sair.
Fica para mais logo...

Manuela Freitas disse...

Olá,
Este blog é uma maravilha, merece todos os elogios. Não sou grande conhecedora da poesia de Ramos Rosa, tenho um dos seus livros, vir cá é uma boa oportunidade de conhecer melhor o poeta, que é um grande poeta!
Bjs,
Manuela

ellen disse...

Mas porque parou no meio da sua vida?

Beijinho

João Menéres disse...

GISELA

Peço desculpa.
Meteram-se outras coisas de permeio e só poderei vir aqui amanhã.

Um beijo.

Sishir disse...

Amazing Gisela....no words to express, for while thought how it might look better in color but on the second thought.....nothing can look better than this!!!
Congrats.

Luísa disse...

Fabuloso caminhar, ancestral conhecimento...vindo pela experiência da vida!
Encantada!

Graça Pires disse...

Tão belo que comove.
Um beijo, Gisela.

João Menéres disse...

Afinal, GISELA, só hoje à noite, terei sossego.

Desculpa, sim?

Um beijo.

dade amorim disse...

A transcendência a nosso alcance está viva nos poemas daqui.
Belíssimo e simples esse poema e sua matéria transfigurada.
Beijo, Gisela.

Gisela Rosa disse...

As suas sábias palavras Adelaide. Obrigada pela sua leitura, um beijo

Sara L. Miranda disse...

Que belo post e un encanto de blog. Beijinho

Gisela Rosa disse...

obrigada pela visita Sara! Um beijinho

Gisela Rosa disse...

João, não são precisas desculpas para o tamanho do teu cuidado em revelares o tempo que precisas para aqui comentar...a tua leitura já é preciosa. Um grande abraço

Obrigada Manuela Freitas, pelas suas palavras, pela sua gentileza em ter cá vindo. Um beijinho

Sishir, your presence here is a pleasure to me, Thanks for your words, Regards

Ellen, naturalmente terá parado para reflectir sobre si e sobre o mundo, dando-se conta de que ERA e assim passou a SER ...beijinho


Luísa, tenho encontrado novos primas de visão com o meu tio, um abraço pela sua generosidade!

Graça, obrigada. Esta imagem saiu muito bem, como se conseguíssemos perceber a tradução da leitura de ARR através da sua expressão facial.
Um beijinho

uminuto disse...

fortes palavras para a tua bela foto
um beijo

João Menéres disse...

GISELA

Não estou esquecido de forma alguma!

Um beijo.

Ianê Mello disse...

Gisele

Quanta paz transmite teu espaço!
Quanto amor perpassa em palavras, em fotos; emoções sutis.
Bom momento para o remanso,para o aconchego dos sentimentos que afloram.

A alma flutua...

Grande beijo