13 janeiro, 2011

quem seria Gisela antes de ser Gisela?



A partir de uma palavra perdida


Antes de ti poderia eu lembrar-me de ti?

O que serias tu antes de ti?
Poderia eu ter-te criado
Se não te tivesse encontrado?
de onde partiria o meu canto
se não fosse do teu nome
que é uma estrela e não um emblema
nem uma bandeira
Poderia eu criar-te no meu arco vazio?
Sem a respiração do teu rosto?
Envolvido numa cabeleira intuitiva
Quem seria Gisela antes de ser Gisela?

António Ramos Rosa, 20-08-05 (inédito)

12 comentários:

Maria Isabel fidalgo/ Ibel disse...

É a Gisela do FacebooK?

Que belo espaço.

Leonardo B. disse...

Aprendi com Yourcenar um Koan Zen que recordo muitas vezes...

partilho:

"Que rosto era o teu antes de o teu pai
e a tua mãe se terem conhecido?"


Um imenso abraço,
com desejo sincero de muitos aniversários, felizes como este, Gisela

Leonardo B.

Ibel disse...

O Leonardo deu-me a resposta. Renovo os parabéns e os votos de muitas felicidades, Gisela Ramos Rosa.
Beijo

João Menéres disse...

Não me digas que falhei !...

Antes que seja demasiado tarde, OS MEUS PARABÉNS !

Que beleza este inédito !!!

Um beijo, hoje especial.

Mar Arável disse...

Talvez uma estrêla

simplesmente

Tania regina Contreiras disse...

Gisela...teu nome, teu rosto, todas as linguagens trazidas por ti são, de antemão, poemas!
beijos

Carmo disse...

Mesmo atrasados aqui ficam os meus votos de felicidades e os parabéns atrasados.

Um beijo

Boa semana

Graça Pires disse...

Mesmo com atraso os meus parabéns, minha amiga Gisela. Muitas Felicidades e Saúde. Adorei o poema do nosso Poeta.
Um grande beijo.

Cáh disse...

Belissimo espaço!



texto lindo.



Beijos

Emília disse...

Quem seria Gisela antes de ser ela?
Um abraço

Analuka disse...

Parabéns pela postagem perfeita! Poema que parece respirar e transpirar em conjunto com a magnífica imagem escolhida... revelando a magia sutil da criação, recriação, o movimento singular e sempre múltiplo de possibilidades! Abraços alados.

Poesia Cibernetica disse...

O blog é muito bom, hein? Belos poemas....