24 abril, 2010

no interior da esfera

Wheels
© Jorgen Dybdahl

Conta-me uma história como se fizesses girar a roda do tempo. Coloca-me nos dedos o movimento da semente que nos meus olhos germina. O chão moldou a tua passagem pela noite...mas o dia continua em ti..... sinto que escutamos o som dos veios rodando. e como aves desenhamos circunferências em torno de um eixo, o nosso próprio rosto...sulcamos o templo, o fogo e o metal da passagem...tocamos a porta para abrir um momento....

conta-me como um rosto consegue dilatar os círculos contendo o lado mais obscuro da matéria....agora que descobriste esta casa, repousa as mãos, olha ...conta-me... como se fosses o sopro que me acolhe no interior da esfera...


Gisela Ramos Rosa, 24-04-2010



13 comentários:

Tânia regina Contreiras disse...

Querida Gisela: tocamos a porta para abrir um momento...Lindo!!!

É preciso que sejamos gratos pela poesia que se mostra a cada dia de forma tão luminosa e bela. Obrigada por hoje, que a sensibilidade me receptáculo maior, mais profundo.

beijos

PAS[Ç]SOS disse...

Era uma vez uma história que abria um livro guardado no peito, a cada página desenhava um círculo onde os olhos que a liam repousavam como se o sangue se moldasse na veia mais escondida, descobrindo pássaros à procura duma nova Primavera...

Carmo disse...

Querida Gisela, bom fim-de-semana neste Abril

Beijinhos

Jorge Ampuero disse...

Interesante texto y fotos muy artísticas en tu blog. Te leo con el google traductor.

Saludos...

Leonardo B. disse...

[este o comentário possível! Mais que possível, o que desejo partilhar…

http://impressoesdigitais2.blogspot.com/2010/04/my-emotional-weather-report-41.html

... há sempre uma primeira vez, para um comentário visual]

um imenso abraço, Gisela

Leonardo B.

myra disse...

estas tuas palavras acompanham tao bem!!! a lindissima imagem!
bjs

betina moraes disse...

gisela,

acolhedor como a palma da mão do mundo feminino deve ser. a história das esferas é nossa história.

lindo conto lírico, lindo!

você é uma pessoa extremamente delicada com as palvras e com a poesia.


um beijo, querida.

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

absolutamente belo , como sempre!
abraço
_______ Jrmarto

Chris disse...

Esfericidades como templos de palavras...
Um beijo
Chris

João Menéres disse...

A uma imagem tão forte, só as tuas suaves palavras podiam acompanhar.

Um beijo, GI.

João Menéres disse...

GI

Por acaso, reparáste na similitude da imagem do teu cabeçalho com a imagem do post de hoje?
Eu, só agora vi!

Beijos, querida amiga.

Carlos Teixeira Luis disse...

... conta-me bicicleta ferrugenta para onde levas os meus nossos sonhos de outrora e alguns de agora... rola no cascalho dos tempos e diz-me...

Vou continuar por aqui, aguardando a resposta...

Abraço.

BAR DO BARDO disse...

Eixo

&

l'eternel retour...