20 março, 2010

com o meu nome e o teu

Sunny Morning
© Andre Arment


O que eu fiz de mais puro
como uma estrela do ar
como um pássaro de uma página
como uma flor de um fruto
como uma onda embriagada
que nasce de uma nuvem de cinza
ou de uma solitária nuvem
que voga na solidão do mundo
no esplendor branco de um Verão
como o grito mais límpido
nasce de um peito oprimido

Foi este livro contigo
que nasceu como nasceu
como nasce um poema
como uma estrela no ar
como uma estrela que respira
com o teu nome de Gisela
com o teu nome e o meu
com o meu nome e o teu


António Ramos Rosa, Vasos Comunicantes, Diálogo Poético com Gisela Ramos Rosa (p. 114, 2006)


* dedico esta edição ao meu tio António Ramos Rosa com quem tenho aprendido tudo o que sei sobre a palavra, o real e a relação com o mundo.

13 comentários:

gabriela r martins disse...

linda a interligação
lindo o laço
linda a palavra - POEMA - quando tudo o mais é pequeno




.
um beijo

Leonardo B. disse...

[só posso mesmo deixar o meu primeiro sublinhado, no meu primeiro Ramos Rosa... "A PALAVRA MAIS VIVA É A MAIS INESPERADA É A PALAVRA NUA"... que é também uma forma de partilhar o sentimento que nutro pela poesia palavra, como substância, nunca foi mais a mesma, para mim a partir daí; o meu mundo no universo poema, começou nesse epicentro]

um imenso braço, Gisela
em tempo de confissões...

Leonardo B.

myra disse...

somente posso me repetir: MARAVILHA!!! tudo!!!!!
bjs

tonhOliveira disse...



Linda sintonia!

António "desenhou o poema"
com traços GIS*, ela & ele!

Abraços aos dois!

...

* giz branco tilizado em quadros-negros para escrever, desenhar, etc.

FerdoS disse...

Excelente partilha, interligação, sentimento, sensação...
Adorável Este Sentir!
Uma Matriz de Sonho sim :)
FerdoS
http://azul-profundo-ferdos.blogspot.com/

Mar Arável disse...

Um belo traço

a giz

no escuro partilhado

Bj

João Menéres disse...

Como o TONHO recriou com a sua genialidade e
MAR ARÁVEL continuou, que mais posso eu fazer com uma GI S(e) ELA é RAMOS ROSA ?

Um beijo com a musicalidade desta música.

betina moraes disse...

gisela,

belíssimo,

belíssimo!

...

um beijo imenso aos dois, com minha total admiração.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Lindo poema!

Muito bom ter partilhado isso conosco.

beijo no coração

João Menéres disse...

Eu tinha deixado aqui umas palavras, GISELA.
Sumiram...
Foi acidente?

Um beijo.

continuando assim... disse...

Convite

O livro "Continuando assim...", foi maltratado...

Resolvi por isso, e porque tanta gente não encontra o livro onde deveria estar (nas livrarias), recontar a história
Lá no …. Continuando assim…
www.continuandoassim.blogspot.com

Vamos em metade da história, o livro reescrito, não está igual (nem poderia!) ao que foi editado.
Obrigada a todos os que vão seguindo (pois só assim vale a pena).
Um obrigada especial a quem ainda não conhece e chega de novo

Uma reflexão em relação a todo este assunto entre livros, autores e editoras, e um conselho, se é que me é permitido:

--- quando vos pedirem dinheiro para editar as vossas palavras, simplesmente digam que não ---
BJ
Teresa

Lídia Borges disse...

Diálogos macios como veludos verdes...

Saudações

JMV disse...

Muito obrigado pela visita.
É um lindíssimo poema.
:)