03 agosto, 2009

Life


Life, © final toto


Le souvenir du Vrai est vaste et quand je le rappelle, ma langue a la douceur du miel. Je me change en esclave. Alors mon coeur, comme l´oiseau qui veut s´envoler, bat des ailes.

*Hodja Ahmad Yassavi (1105-1165), Ghazels Ouzbekes, p. 11


*Un des premieres poètes de langue turque, fondateurs de l´ordre religieux "yassavia", extremement populaire en Asie centrale (Turkestan).

6 comentários:

mariab disse...

a beleza, o bom gosto. palavras chave deste blog.
beijo

Graça Pires disse...

O coração é sempre como um pássaro. Tem o fascínio do voo... Um beijo Gisela.

Carmo disse...

Adorei Gisela


Beijinhos


Carmo

Para quando um encontro?

Gisela Rosa disse...

mariab. Os seus olhos, a sua escuta....obrigada e um beijinho!


Graça, o coração, um pássaro, uma ilha, um segredo...nós sabemos...


E o nosso encontro? beijinhos



Carmo, contagiei-me com a sua palavra encontro....andamos tantas vezes num (desen)contro,

concordo, espero uma data...beijinhos

Carmo disse...

É lugar comum dizer que a vida é feita de encontros e desencontros, eu particularmente aposto e acredito mais nos encontros, na construção, nas pontes, no "Templo dos Sonhos".

Beijinhos

Carmo

Gisela Rosa disse...

Obrigada Carmo!

Que bom termo-nos encontrado no lançamento de JRM. Um beijinho