15 agosto, 2009

Desmancha-se o cavalo?

Ride a white horse....
© Petra


Desmancha-se o cavalo? Jamais.
a resposta vem da força dele.
corre por cima dos desastres.
é fogo e pedra alta bem talhada.
(…)
Vive, portanto, mais alto do que o tempo.

António Ramos Rosa, p. 69, em Casimiro de Brito, Vagabundagem na poesia de ARR

4 comentários:

O Profeta disse...

Ah mas esta calmaria aprisionada
Sobe ao celeste um frio arrepio
Entre o mar e as negras pedras
Vive um coração de onde escorre um rio
Onde moram sereias douradas
Onde os peixes falam de amor
Onde as pedras são felizes
Onde as águas lavam o rancor


Boa fim de semana


Doce beijo

ellen disse...

Que bonito Gi,
Adoro estes animais pela sua elegante beleza e charme que sempre conseguem transmitir junto a uma meiguice que lhes é característica :)

Beijinho para ti

e ainda estou de férias mas quando dá vou passando...

Graça Pires disse...

"Corre por cima dos desastres". Só um grande poeta pode falar assim.
Um beijo.

Dalton França disse...

Como também não desmancham-se a força contida na verve poética!
Parabéns pelo post, Gisela!
Um beijo!