08 junho, 2009

lembrando que existe um rio



Fisherman © Rudi Kokic

Om é o arco, a seta é a alma
Brame é o alvo da seta
Ao qual se aponta firmemente

Hermann Hesse, Siddhartha, p.14 - 1974


* O título deste post é um verso do poema "Lisboa, Cerca Moura" de Pedro Mexia..

5 comentários:

JMV disse...

As escolhas são muito bonitas.
Ainda estou a habituar-me à nova configuração...
um beijinho

William Alexander López disse...

Excelente trabajo !

Abrazos

Gisela Rosa disse...

JMV,

há muito que buscava entender como ampliar os conteúdos. Com a ajuda de William López (de El Salvador), consegui lá chegar...Obrigada, um abraço!




Gracias William por tu preciosa ajuda, un abrazo!

adelaide amorim disse...

Foto de grande beleza, Gisela, e um texto à altura.
Um beijo.

Marta disse...

Um dos livros da minha vida :)

e a imagem belíssima! beijinho