26 junho, 2009

Enquanto o Sol


Tela, Gisela Rosa - 2008



Poderia inventar uma forma para te dar
mas encontraria sempre novas formas Abertas
por onde se evadiria o ponto fixo que idealizei
no início

poderia espalhar uma cor dentro da tela
para encontrar a linha que nos une
em cada traço em cada passo
num caminho

Poderia dar-te uma flor com a dimensão
de um encontro

agora
dou-te um abraço com a extensão
destes braços e as cores de um sentimento
que repousa numa tela sempre em movimento


Gisela Rosa, 2006

24 comentários:

PAS[Ç]SOS disse...

A arte de quem escreve com cores e pinta com palavras só pode se vestir com a beleza suspirada nestas linhas.

GEMACEDO disse...

Numa mão a pena noutra o pincel e surge beleza contida na solidão do ser e na explicação do querer. Queira; pois o pintastes bem!

Gisela Rosa disse...

Obrigada pela visita e palavras Passos! Um abraço


Gemacedo muito obrigada por suas visitas, Um abraço

Graça Pires disse...

"Poderia dar-te uma flor com a dimensão de um encontro"
Muito belo, Gisela.
Eu poderia dizer que há um encontro marcado que vamos adiando porque a vida é assim mesmo...
Um beijo.

Carmo disse...

Existe uma simbiose perfeita entre a arte da tela e a arte das palavras.

Parabéns

beijinho/ carmo

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

vaandando disse...

.... as artes comunicando , a palavra e a tela .... E ainda nas palavras a arte de as configurar em cor e movimento !
Um prazer !
E como se não bastasse Concha Buika!
gratìssimo Gisela !
________ JRMARTO

Vieira Calado disse...

A beleza da tela

complementa muito bem o poema.


Beijinhosss

JMV disse...

Tinha deixado um comentário mas (com o calor da tela ?) evaporou-se...já foi há algum tempo, mas também era só para dizer que gosto muito do poema.

um beijinho

Gisela Rosa disse...

Graça, obrigada pelas palavras. O nosso encontro será sempre com a dimensão de uma flor e de novo acontecerá. Um beijinho

Carmo a simbiose está no seu olhar. Um beijinho

Rebeca e Jota Cê sejam bem-vindos!


Recebo com apreço as suas palavras Vaandando. Gosto muito da voz rouca de Conha Buika. Um abraço

Que bom ter gostado Vieira Calado é relevante para mim! Um abraço


JMV, de si só poderia esperar um comentário redobrado. Beijinho e obrigada

Tchi disse...

Que os abraços dizem tudo. Dizem tanto. Expressam até o silêncio. Mas são aconchego em todas as horas.

Abraço.

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...intensos ,llenos de sentimiento y dando un bello ejemplo de vida, que es lo que el amor aporta al corazon......un afectuoso saludo desde mis HORAS ROTAS.....Desde mis HORAS ROTAS,
y AULA DE PAZ
un afectuoso abrazo y
cariño compartido
siempre desde el alma
saludos
de amistad:
---Jose Ramon---

Marcelo Novaes disse...

Gisela,



Bela declaração de amor-cor-em-tela, onde o Aberto acaba [sempre] por se impor ao ponto fixo.





Beijos,







Marcelo.

Gisela Rosa disse...

Tchi, em um abraço cabe(m) o(s) mundo(s). Que bom tê-la aqui. Um beijinho


Jose Vasquez gostei muito da sua leitura de meu post, dos meus poema(s) e sobretudo dessa fala que vem da Alma, volte sempre, visitá-lo-ei un abrazo



Marcelo sua análise surge como uma seta no Aberto, esse lugar onde tudo É em movimento e o Amor pode acontecer! Obrigada por suas palavras gostei muito! Visitá-lo-ei, Um abraço

Tchi disse...

Que surpresa tão coincidente.

Parabéns por prosseguires o legado das artes da família.

Obrigada por aqui as partilhares também connosco.

E pedindo licença a António Ramos Rosa uso a sua máxima «O que determina o movimento da palavra é o relâmpago de nada que a ilumina pela frente e lhe abre o seu percurso novo e inaugural» para mostrar a minha gratidão a uma família que muito tem enriquecido o mundo da cultura e das artes em Portugal. Do nada se começa e se faz caminho. É preciso ouvir a palavra e seguir-lhe a luz...

Abraço.

Pedro Branco disse...

A inquietação cruel da criação. Percebo-te.

Gisela Rosa disse...

Tchi de novo lhe agradeço o carinho das suas palavras, um beijinho


Obrigada Pedro pela partilha!

Dalton França disse...

Aqui o sonho é a matriz de uma tela em pleno movimento. Parabéns Gisela, seu blog é uma obra de arte!
Um abraço!

Gisela Rosa disse...

Dalton que bom receber suas palavras. Com apreço as acolho neste lugar, um lugar que resulta desse movimento incessante de sístole e diástole que nos (per)corre.... Muito obrigada, Um abraço

William Alexander López disse...

Bella , todo un arte !!!

Gisela Rosa disse...

Gracias William! Mira a Linguagem dos Rostos, lá está um anjo que sonha...

www.alinguagemdosrostos.blogspot.com

mariab disse...

a cor das palavras. a beleza que as impregna.
beijos

Gisela Rosa disse...

mariab obrigada pelo seu eco cromático; um beijinho

ellen disse...

Gi,
linda tela em sintonia com este poema... dou-te o meu abraço :)

Beijinho grande