22 agosto, 2010

tragam-me os sonhos sem história

Lost generation - (Irão)
© Navid Haghighi


Ofereçam-me o sonho e o tempo de saber quem sou
no meu corpo há um lenço que encobre a criança entre os homens e as mulheres
guardo ainda nos meus olhos uma vaga aliança uma ascese
um olhar antigo num prisma de criança

tragam-me os sonhos por revelar para que possa chegar à terra natal
depois da experiência e não antes de tudo começar
permitam-me os frutos e as cores das palavras mais primitivas

tragam-me os sonhos sem história, a voz do pessoas, os rostos todos
tragam-me a obra humana capaz de mudar o real e o mundo


Gisela Ramos Rosa, 22-08-2010

22 comentários:

Carmo disse...

Olá Gisela, mais um delicioso poema!
Beijinhos e boa semana

maria josé quintela disse...

os sonhos sem história são os sonhos com a cor verde da esperança.


bom dia Gisela.


beijo.

PAS[Ç]SOS disse...

A matriz dos sonhos tece-se na ingenuidade dos poetas que não deixaram de ser criança e com as palavras desenham histórias infindáveis onde os existencialistas penetram incógnitos em busca de certezas com que pragmatizam a vida.

Flor de Lys disse...

Traga-me sonhos com grandes barcos de papel nos quais eu navego numa manhã de outono...

=)

Bom passear aqui...

Álly.

AC disse...

Há lugares onde a pureza do olhar foi sonegada...
Há lugares onde a luz é cultivada nas trevas...
Há lugares onde o medo comanda a vida...
Há lugares onde os olhos apenas apelam por socorro...

Beijo :)

myra disse...

sim, minha querida Gisela, gostaria de fazer "reviver" meus sonhos, viver outra vez eles, e nao somente sonhar!
lindissimas palavras, lindissima foto, e a cançao è maravilhosa!!!
beijos e saudades

E.A. disse...

Gisela,
Gostei muito do poema. Tenho, no meu blogue, um miminho que gostaria que aceitasse.

A Mina do cara! disse...

muito bonito poema.
e essa frase é linda: "um olhar antigo num prisma de criança"

beijo e bom domingo

Tania regina Contreiras disse...

Belo olhar antigo nesse prisma infantil, Gisela...
abraços,

João Menéres disse...

GISELA

Como sabes, tenho (e continuo...) muito limitado a VISITAS e COMENTÁRIOS.
Como sempre, maravilho-me nest'A MATRIZ DOS SONHOS!
>tragam-me os sonhos sem história<

Que sonhos poderão ser esses?

Grande beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

sonhos pra dar e vender, sonhos para viver :)

bjs

Andrea de Godoy Neto disse...

minh'alma sempe sorri aqui.

beijos, gisela!

« Katyuscia Carvalho » disse...

Querida Gisela,

A delicadeza da imagem, este quase poema-prece, e "o" sonho embalado nos braços dessa canção linda, como voz de mãe que não deixa o sonho sozinho.

Que a obra humana se dê.
Que o sonho não cresça com cicatrizes no rosto das gentes.

Abraço em ternura.
.
.
.
Katyuscia

manuela baptista disse...

de uma menina

entre tantas meninas
de lenço

ofereçam-lhe o sonho e o tempo
de saber quem é

.

porque capaz de mudar o real e o mundo


também são as palavras, Gisela

as suas!

um abraço

Manuela

Ana Oliveira disse...

"Eles não sabem, nem sonham..."

Serão os sonhos sem história que farão nascer a nova ordem num mundo em que todos os sonhos se tornem reais...

Um beijo Gisela

Afonso disse...

Excelente. As dimensoes dos Sonhos capturadas em Matriz.

Graça Pires disse...

"Tragam-me os sonhos por revelar para chegar à terra natal" Excelente! A condizer com com o olhar da menina da fotografia...
Um grande beijo

Mar Arável disse...

Tudo se conquista

mesmo no caminho insondável

das palavras

Bj

ParadoXos disse...

talvez nunca te tenha dito, adoro de coração tudo o que és em palavra, Gisela!


beijos

Heduardo

José Alba disse...

Es una foto presiosa. Un abrazo

betina moraes disse...

já tens, querida,

é a poesia que escreves!


belíssimo, gisele.


a foto ficou magnífica!


um beijo.

PS: parabéns pela música que aqui está. é deslumbrante.

BLOG DO PROFEX disse...

Tragam-me a oportunidade de sentir e oportunidade de expressar o arrepio diante dos mistérios...
Adorei seu blog.
Grande Abraço, Gisela!