06 junho, 2010

com a harmonia e o nexo de uma porta a abrir

inSide ruN
© Guldehen Yogurtcu


lembras-te que te falei na palavra projecção? .....aquela palavra que é em si um movimento e um acto onde se sente alcançar um outro lugar ? volto a colocar os pés sobre a areia rochosa porque se reparares tudo é uma projecção e um eco... do olhos, da pele, da língua, do orifício por onde adentram os sons, do tacto....ou seja do contacto que produzimos no mundo, semente e corola que podemos visitar com o fôlego da Casa para avançar...mas há um foco no interior da projecção e um ângulo que reflecte uma linha a horizonte.... somos nós que nos lançamos no interior da palavra com o corpo o desejo a origem.....sabes, gosto de entrar pelas palavras como se nelas encontrasse o oceano e a deriva, depois deixo que as noções me aconcheguem fluindo com a harmonia e o nexo de uma porta a abrir...

repara como fomos moldando o barro com todas as formas... poderíamos até ter asas em vez de braços....imaginemos por dentro para tornar a luz possível e depois em harmonia cá fora transformar...

mas voltemos à palavra projecção...ela pode ser um reflexo de nós se lhe juntarmos o rio e o fluxo da palavra consciência....desse leito poderemos regressar ao lugar de onde partimos sem danificar essoutro que fora de nós encontrámos...


Gisela Ramos Rosa 06-06-2010


22 comentários:

myra disse...

magnificaaaaaaaaaaaaaas, as tuas palavras e foto excelente ,adorei as palavras!!!!!beijos enormes!!!

Leonardo B. disse...

[não existe dentro do homem a essência da ilha, mas o do mar adentrado pela sua recordação primordial; todo a folha onde projecta pode ser um mar... salgado, morto, doce, mar!]

um imenso abraço, Gisela

Leonardo B.

Canto Turdus Merula disse...

Embaraçado nas palavras pela minha estupefacção perante texto magnífico.

Desculpe-me o atrevimento injustificado de ir ao seu texto colher um instante inteiramente soberbo, e sem desfocar a totalidade do texto, mas que particularmente me suspende absolutamente: “gosto de entrar pelas palavras como se nelas encontrasse o oceano e a deriva, depois deixo que as noções me aconcheguem fluindo com a harmonia e o nexo de uma porta a abrir...” extraordinária e sublime passagem, enche totalmente a “razão” da palavra.

Reencontro nos seus textos, que ultimamente tenho visitado, sem palavras para dizer diferente, e para melhor me expressar, tomo novamente as palavras do seu texto “imaginemos por dentro para tornar a luz possível e depois em harmonia cá fora transformar...”

Assim acontece muitas vezes o poema fala da vida com a exactidão como de uma ciência rigorosa se fosse.

E mais às palavras do seu texto podia voltar com o mesmo deslumbramento.

Texto admirável... espantosamente pleno...

Gisela Rosa disse...

Querida Myra: vejo sempre pinturas nas suas palavras...beijo


O mar esse oceano que pode ser de palavras Leonardo em redor e/ou por dentro de todas as "ilhas"...abraço amigo



Canto TM!


Suas palavras deixam-me sem saber ao certo se fui eu (Gisela) que produzi o texto quem sabe alguém dentro de mim re-nasça quando escrevo....o que sei é que é bom
sentir a escrita a correr...

muito e muito obrigada pelo ECO




terno abraço a todos

Tania regina Contreiras disse...

Um mergulho nas palavras, Gisela...Por alguma razão, lembrei-me de palavras de Barthes sobre a linguagem como pele.

Beijos, Gisela,
Tânia

Gisela Rosa disse...

Sim Tânia a linguagem é uma pele com a qual construímos o corpo. Adoro Barthes. Obrigada por lembrá-lo. Um beijinho

Mar Arável disse...

Antes de entrar é sempre bom

bater à porta das palavras

para uma projecção quase perfeita

nas águas

Bj

Analuka disse...

Primoroso texto! Poético, suave, bailarino... assim como os sentidos, da pele ou das palavras, variáveis, efêmeros, mutantes... que, todavia, nos deixam marcas, vestígios, sensações!... Bom, pousar neste lugar de sensibilidade. Deixo abraços alados!!!

Gisela Rosa disse...

Mar podemos mergulhar na linguagem como se ela fosse um oceano e esperar que as palavras nos visitem...obrigada bj



Analuka


que bom ter gostado de ler o texto e o encarar como se de uma dança se tratasse...muito obrigada pela gentileza de sua expressão,


Gostei muito de suas pinturas e retratos, volte sempre

dade amorim disse...

Gisela, achei em seu lindo texto uma ressonância poética que o aproxima de uma crônica postada hoje em O Bem o Mal e a Coluna do Meio. Achei interessante essa aproximação, sem que tivéssemos lido o texto uma da outra.

Um beijo amigo.

Andrea de Godoy Neto disse...

gisela, teu texto é maravilhoso!

"poderímos ter asas em vez de braços"...aqui, abri minhas asas em voo pleno

linda a imagem
e as palavras que levo na boca são "com a harmonia e o nexo de uma porta a abrir"

um abraço pra ti

Gisela Rosa disse...

Já li o texto Dade, há uma ligação sim entre seu texto e o meu - em projecçáo -


beijinho e obrigada


Andrea muito obrigada de coração. Um abraço também para si

Cravo de Carne disse...

Descobri a blogosfera há pouco tempo. Tenho andado a "bisbilhotar" o que se vai fazendo neste espaço.
Bisbilhotar no sentido carinhoso do termo: acho fantástico e absolutamente generoso a forma como há pessoas disponíveis a partilharem o seu mundo, a exporem os seus gostos, afectos, anseios..
De blogue em blogue, através das pontes que uns constroem para outros, cheguei a A Matriz do Sonho.
Blogue magnífico: tudo compõe uma vida harmoniosa, plenamente bela. Dizer-lhe "Parabéns!" é pouco. Um obrigada compõe a mensagem que lhe desejo deixar... Mas tudo fica muito aquém da beleza, da esperança, da pura alegria que se sente ao contemplar o belo.
Nota: vi que esteve no meu diário. Senti um súbito rubor (de cravo!...).
Estou apenas a aprender!

tonhOliveira disse...



FpUrNoDO ← adentro!

Lindo GIS!

:)

Graça Pires disse...

Moldar o barro das palavras com a luz de uma secreta linguagem...
Um beijo.

João Menéres disse...

Chego tão tarde...
Tantos disseram TANTO...
E a TÂNIA falou no Barthes...
Outros destacaram trechos encantados...
Vou agarrar-me ao > ...um ângulo que refecte uma linha a horizonte...<.
Este teu "a horizonte" deixou-me estupefacto!
É o que procuro incessantemente!!!

M A R A V I L H O S O !

Um beijo "sem danificar essoutro" que gostaríamos de encontrar aconchegado em nós.

Gisela Rosa disse...

Estou sentindo a presença de um cravo neste espaço....muito obrigada por todas as suas palavras.



FpUrNoDO ONHOT←
OÇORAB


A linguagem é sempre uma espécie de barro que podemos moldar com "os animais do sol e da sombra" (ARR)

beijinho Graça



João


com o coração lhe agradeço traçando essa linha no seu horizonte



um beijinho

gabriela r martins disse...

um complemento mais do que perfeito o alcançado entre as imagens e o texto ( onde me banho )



.
um beijo

Carmo disse...

Gisela é sempre um prazer visita-la.

Excelente texto para excelente fotografia.

Beijinhos e bom fim de semana

Gisela Rosa disse...

Gabriela R. Martins,


Agradeço e muito a sua vinda a este espaço. Com um terno abraço a convido a voltar.



Carmo, como vai? obrigada pela disponilidade para comentar aqui na Matriz dos sonhos. um beijinho

betina moraes disse...

gisela,

sempre que me deparo com teus escritos filosóficos me arrependo de não morrar ao lado de tua casa.

muito bonito, muito!

um beijo.

anna serrat disse...

MARAVILLOSA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Muito Obrigada.
Bravisimo.