11 abril, 2010

e confesso a mão,

L'altra metà
© fulvia menghi



imagino a outra metade coberta por um véu, a espessura, a sombra, um enigma por decifrar, o sol que divide as mãos, ou mesmo uma dança, dois corpos na proa de um barco, mas regresso sempre a mim e confesso a mão com o peso da raiz em comunhão...

Gisela Ramos Rosa, 11-04-2010


Leonardo B deu continuidade à minha prosa deixando-me um comentário....assim:


[... que sulcará a tua terra anónima,
o teu traço ignoto,
um broto de mar selvagem,
acontecido em ti,
impossível em ti então,
minha mão traça,
o barco que se atravessa no fundo de mim,
do barco sem fundo, sem remo
- Apenas um fragmento breve do corpo do mundo;
corpo eu, corpo tu, casa improvável breve azul mundo]


Leonardo B., 11-04-2010


Com o coração lhe agradeço Leonardo B!**

14 comentários:

Leonardo B. disse...

[... que sulcará a tua terra anónima,
o teu traço ignoto,
um broto de mar selvagem,
acontecido em ti,
impossível em ti então,
minha mão traça,
o barco que se atravessa no fundo de mim,
do barco sem fundo, sem remo
- Apenas um fragmento breve do corpo do mundo;
corpo eu, corpo tu, casa improvável breve azul mundo]

um imenso abraço, Gisela

Leonardo B.


* desculpe-me este improviso, este "graffitamento de palavra... tinha que ser, foi!]

Gisela Rosa disse...

Leonardo B.


Como pedir desculpa com o Belo,
a comunhão é isso que diz ter feito
um "graffitamento de palavra... tinha que ser, foi!], agradeço-lhe do fundo do coração do fundo dos dedos, desse lugar inteiro que guardamos!

Como agradecer? Há muito!

Um abraço com a (sua) imensa palavra

Gisela Rosa

El Viejo @gustín disse...

Hermoso Gi!!

Abrazo

Tânia regina Contreiras disse...

Versos parindo versos: que beleza, Gisela, que beleza, Leoardo!

Abraços

Anónimo disse...

Amiga Minha

por muitas voltas que dê aqui ao sistema circulatório, não consigo
encontrar uma palavra que não seja rebuscada... estou_________ !
(conto preencher o espaço, como fazia nos tempos de escola,
o mais breve possível)

A espontaneidade, vou propor, que se torne também uma das
sete maravilhas do ser humano!

Sabendo insuficiente, cheio deixo
um imenso abraço, Gisela

Leonardo B.

myra disse...

mais uma maravilha!!! fico de boca aberta cada vez que venho aqui!!! beijos e aplausos!

Gisela Rosa disse...

Agustin, sua visita é um arco entre continentes....


Um abrazo!)


Tânia, que bom sabê-la aqui, e com gosto! Uma palavra e um beijo!


Leonardo, não resiti à espontaneidade, de novo lhe agradeço com o meu nome, Gisela Rosa

disse...

Sabe sempre bem, passar por aqui e beber a poesia, as imagens... Bjinhos do Porto

JMV disse...

Gosto muito quando escreve em prosa.Liga bem com a poesia de Leonardo B.
:)
um beijinho

tonhOliveira disse...



→poetateop←

encontro de... palavras poéticas!

Lindo!

abTraços!

Mar Arável disse...

a um barco sem regresso só

resta-lhe uma mão

que o imagine

e já não é pouco

Bj

Graça Pires disse...

As mãos tão perto de voar...
Um grande beijo Gisela.

José Carlos Brandão disse...

Metade de mim é fantasia,
Metade e mim é coberta pelo véu.
A outra metade nem eu mesmo conheço
De ponta a ponta: eu no espelho
Cego para minha própria realidade.
Sou enigma ao sol, que me ilumina
E divide: o real e o ideal,
Minhas duas metades.
Minha única certeza são as mãos
Abertas à fraternidade.
A vida é muito pouca para se perder,
Vamos de mãos dadas.

Gisela Rosa disse...

Té a sua visita alegrou-me! Um abraço para si!


JMV, sei que gosta de prosa, as suas palavras são importantes aqui...Obrigada!


Tonho, seus taRsOç oÃs eD ArUto! Gdabrioa OGIMA!


José Carlos Brandão. seu poema, sua espontaneidade. Lhe dou minhas mãos, caminhemos...Muito Obrigada!


Graça minha amiga a cumplicidade do voo, o pássaro que dentro de nós se eleva...Obrigada, um beijinho e saudades