09 janeiro, 2010

encontros



Encontrei esta composição de imagens na intimidade do meu tio António Ramos Rosa. Aqui as páginas cruzam resmas de papel, palavras, rostos e mensagens.
Ressonâncias poéticas numa espiral do encontro...

Gisela Ramos Rosa, Dezembro de 2009.

7 comentários:

.Leonardo B. disse...

[entre dois grãos de luz, onde o espaço da palavra? no rascunho, na alma essência ausente? entre um traço, ponto de partida para o livro, onde se escondem os tesouros e os respectivos mapas do mundo, onde o espaço que cabe a letra que resta; nunca a que sobra! triste seria se assim fosse... solene a comunhão de letra em letra, cativa em traço. o que resta? o que faço?]

um imenso abraço, Gisela

Leonardo B.

|que passe um pouco desta gafittoesia...|

Mar Arável disse...

Um dia escrevi que também as palavras podem respirar por guelras

Chris disse...

Estranho este caminho por onde as palavras nos levam...
Um beijo
Chris

Luísa disse...

Reliquias, não?
as palavras vagueiam por onde menos esperamos!
Beijinho terno!

Gisela Rosa disse...

Leonardo,

obrigada pelo seu comentário pelo que traz o seu olhar em comunhão...Um abraço


Mar arável, na realidade tudo se transforma, até a palavra pode ganhar novos rumos...sem dúvida que a palavra pode mergulhar no oceano da origem ou então alcançar novas formas... Muito grata

Um abraço


Chris, é isso a criação, não é mesmo? Obrigada pelas palavras

Um abraço

myra disse...

lindo, formoso,esplendido...
beijos, sabe eu tenho um novo blog, se quiser é:

www.gigi-e-myra.blogspot.com

Carlos Teixeira Luis disse...

Obrigado...
... este sítio belo satisfaz a nossa sede de beleza, poesia e algo do grande Poeta Ramos Rosa e muito da Poetisa Gisela.
Sinto-me em casa, tomo a liberdade de o afirmar...

Um abraço,
Carlos T. Luis.