29 setembro, 2009

é morno o gesto com que percorro*

Drifting..
© Ilja Hackman




Aqui, na fenda da rotina onde o outono aquece

vou desenhar a sede, lentamente.
Já não falo de nós, peregrinos

das rotas que inventámos.
Por dentro das metáforas violo,

apenas, os limites do sossego e desfaço
todos os nós do medo no fulgor livre do verbo.
É morno o gesto com que percorro

os momentos inquietantes do quotidiano.
Imagens e sons são, quase sempre,

o fundo falso onde, de forma ambígua,
me escondo para representar todos os rituais,
sagrados e profanos, do dia a dia.
Aquém de mim acendem-se todos os mares

e, na voz dos marinheiros, pergunto ao sol
se pode ser eterna a sombra de um barco.

Graça Pires, De Outono: lugar frágil, 1994




* O título é um verso do poema editado, da autoria de Graça Pires

11 comentários:

Lídia Borges disse...

"Aquém de mim acendem-se todos os mares
e, na voz dos marinheiros, pergunto ao sol
se pode ser eterna a sombra de um barco"

Retive estes versos de um belo poema.

Um beijo

João Menéres disse...

Que extraordinário este post, GISELA!
Cada linha da GRAÇA PIRES é, por si, uma poesia feita de pérolas autênticas.
E eu que nunca ouvira o seu nome !

Depois, pescáste uma imagem fabulosa ( ILJA HACKMAN), MAIS QUE PERFEITA, para dar "cor" ao
" É morno o gesto com que percorro".

Obrigado por iniciar este serão assim embalado na MATRIZ DOS SONHOS !

Qual a editora da Graça Pires?

Um beijo de muita admiraçao.

Gaspar de Jesus disse...

Boa noite
Cara GISELA
Foi um pouco por acaso que encontrei este seu Excelente Blogue.
Estou encantado!
Belissimas Fottografias de Grandes Autores, acompanhados de optimos textos.
Obrigado por tudo o quie aqui nos mostra, voltarei sempre que possa.
Gaspar de Jesus

Maria Clarinda disse...

Uma partilha maravilhosa. Jhs

William Alexander López disse...

Un trabajo fantastico, la composición y encuadre son geniales, tiene una forma muy directa de expresar sentimientos, muy bella !

betina moraes disse...

gisela,

quanta beleza na costura de graça pires..

fiquei encantada com o poema.

um beijo!

Gisela Rosa disse...

Queridos visitantes deste espaço, agradeço demais as vossas palavras porque as vejo transparentes, não creio que sem sentirem teriam escrito alguma delas....A graça Pires é uma grande poeta e amiga, com a qual tenho cumplicidades poéticas.....podem conhecê-la melhor em

www.ortografiadoolhar.blogspot.com


Um abraço terno a todos

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Lindo esse poema, como tudo o que Graça escreve.
Pena que nada é eterno, somente as palavras que marcam esse poema.


beijo no coração

Gisela Rosa disse...

Querida Elizabeth obrigada por sua visita e palavras. Um beijinho

Graça Pires disse...

Que bem ficam as minhas palavras na sua Matriz dos Sonhos. Porque nós somos cúmplices desse sonhar
quotidiano. Porque nós sabemos que "pelo sonho é que vamos, comovidos e mudos" como dizia Sebastião da Gama. Obrigada.
Um beijo enorme.

Gisela Rosa disse...

Graça, a voz do seu poema ecoa nesta matriz de paredes nuas...e que maravilha é ouvi-la expressar Sebastião da Gama. Obrigada Graça por todas as suas palavras que tece com a Alma...beijinhos