05 julho, 2009

observando a "harmonia das esferas"



Torre do Zigurate, situa-se no Terraço dos Mundos Celestes em frente ao poço iniciático e simboliza uma estrutura apta à contemplação dos mundos celestes e à observação da "harmonia das esferas" - Quinta da Regaleira em Sintra *

É preciso descer lucidamente os poços com degraus
e encontrar os seus estados sucessivos,
pois, para atingir o Paraíso, é preciso, obrigatoriamente,
passar pelo inferno, um dos estados da iniciação:
a realização efectua-se no núcleo de pedra
e a segunda morte iniciática reside na cristalização subtil,
Mas o eleito encontrará aí a força ascensional
que lhe permitirá alcançar o céu,
pois soube recolhê-la no Templo subterrâneo.

Jean-Pierre Bayard
La Simbolique des Mondes Souterrains, p. 76
in Anes, José, Os Jardins Iniciáticos da Quinta da Regaleira, p. 74, 2005


Tradução
para espanhol do poema de Jean-Pierre Bayard feita por Agustin Talledo, em http://elviejoagustin.blogspot.com/

...Es imprescindible recorrer paso a paso y lucidamente, la escalera que desciende hasta la profundidad y encontrar en casda escalón los estados sucesivos de nuestra historia personal.
Para llegar al Paraíso es preciso indefectiblemente pasar por elinfierno, es como un rito iniciático;donde la realización se consagra en la partición del núcleo duro de nuestro pasado.
Para llegar al paso final de la muerte, en el que se logra la cristalización sutil de la experiencia de vida; el "Elegido" encontrará la fuerza suficiente, para emerger desde las profundidades y allí alcanzar el cielo.
Logro sencillamente obtenido por el simple transito del camino al templo subterráneo...

Versión libre, de la pobre traducción, del texto de Jean Pierre Bayard.
Fragmento página 76, de la versión en Portugués.

7 comentários:

Teresa Queiroz disse...

e a procura desse paraíso é constante ..:)

JMV disse...

"(...)Porque sendo da natureza
o mais excêntrico
Quando tudo o ordenava
no alimento e na procriação
ele orientou-se no sentido do sonho
e demandou"
João Santiago,"A Memória e a Utopia"

um beijinho

Carmo disse...

E o que é o Paraíso? Talvez a passagem por vários "estádios", até atingirmos o "Nirvana"

Gostei muito

Beijinhos/ Carmo

Ramon Alcântara disse...

O paraíso é um passado sempre futuro, mais que pretérito...

Reticente.


abz
add

Gisela Rosa disse...

Teresa, o caminho em direcção à luz não cessa, é gradativo....Um beijinho e obrigada pela visita.


JMV o seu comentário é lindo, entrou na alma do poema e de Zigurate com João Santiago. Obrigada. O sonho e a imaginação criadora são processos que permitem caminhar em direcção à montanha, à luz mas segundo Dante, "é impossível elevar-se à luz, sem se empenhar primeiro numa "descida infernal", no coração da terra" (na Regaleira a descida aos infernos faz-se no poço iniciático para depois se encontrar a luz em Zigurate. Dante, diz-nos ainda "em primeiro lugar uma visita ao interior da terra (para encontrar) o segredo do mundo nesta demanda abissal que é, ao mesmo tempo, uma rectificação de si próprio" in José Anes, Os Jardins iniciáticos da Quinta da Regaleira, p. 81

Carmo, certamente que a busca desse estado de hiperconsciência ou percepção pura da "Luz" é universal e são vários os nomes que lhes podemos dar assim como as vias. Um grande beijinho e obrigada pela visita carinhosa


Ramon, muito obrigada pelo comentário....no paraíso o Tempo não existe, tudo É. Gracias! un abrazo

El Viejo @gustín disse...

Gi.
traduzi-o e o postee citandote.
Un beso

Gisela Rosa disse...

Agustin!!

Que tradución maravilhosamente libre e verdadeira. É muito bom encontrar leituras como a sua, por tudo!


Um abrazo!