02 abril, 2009

Corps Écrit


Pedras Vivas, o lugar do poeta António Ramos Rosa, fotografia de
Gisela Rosa Março de 2009



....No, no sueno. Vigor
De creación concluye
Su paraíso aquí:
Penumbra de costumbre....

Jorge Guillén, "Más Allá" in Cántico


* O título deste post é também o título de uma revista de literatura francesa "Corps Écrit"

4 comentários:

alice disse...

gosto muito da expressão "pedras vivas". se me permite, creio que posso dizer, sem receio, que se parecem um pouco connosco, isto é, com as pessoas que gostam das palavras, do desenho, da pintura, e da arte em geral :) quem gosta de criar é uma pedra viva! um grande beijinho, Gisela.

adelaide amorim disse...

Um título sugestivo, daqueles de "muitas portas". Beijo, Gisela.

mateo disse...

Maravilhado com música tão étnica!
E, depois, encontrei outro "corpo"!
Beijos.

Gisela Rosa disse...

Obrigada Alice, concordo plenamente consigo intuitivamente escolhi "As Pedras Vivas" e cheguei a "Mas Allá". Um beijinho

Um Corpo Escrito Adelaide faz-nos imaginar, por certo. Obrigda e um beijinho


Adoro música étnica Mateo e também da argúcia da sua escrita. Um abraço